Viva em paz com Deus – Parte II

1 PORTANTO, AGORA, desde que fomos declarados justos à vista de Deus, pela fé em suas promessas, podemos ter na realidade paz com Ele por causa do que Jesus Cristo, nosso Senhor, fez por nós.
2 Pois, devido à nossa fé, Ele nos colocou neste lugar do mais alto privilégio onde agora nos encontramos e nós, confiante e alegremente, ansiamos pelo dia quando realmente nos tornaremos tudo quanto Deus tem em mente que sejamos.
3 Podemos nos alegrar, igualmente, quando nos encontrarmos diante de problemas e lutas pois sabemos que tudo isto é bom para nós – ajuda-nos a aprender a ser pacientes.
4 E a paciência desenvolve em nós a força de caráter, e nos ajuda a confiar mais em Deus cada vez que a utilizamos, até que finalmente a nossa esperança e a nossa fé fiquem fortes e sólidas.
5 Então, quando isso acontecer, poderemos sempre erguer a cabeça, seja lá o que for que aconteça, e saber que tudo vai bem, pois conheceremos quanto Deus nos ama; sentiremos também este seu amor afetuoso em todo o nosso ser, pois Deus nos deu o Espírito Santo para encher nossos corações com o seu amor.
(Romanos 5.1-5 BV)

No post anterior expliquei que ter paz com Deus, significa viver segundo os seus termos, agora vou comentar sobre as questões do dia-a-dia daqueles que vivem em paz com Deus, para isto vou me basear nos versos 2 e 3 de nosso texto base.
Nesses versos aprendemos que Deus nos coloca nos lugares que devemos ficar e servi-lo, se aceitarmos essa condição entendendo que é um privilégio, Ele vai nos honrar, mesmos que o mundo a nossa volta não nos honre, mas nos persiga.
Outro ponto importante na vida daqueles que vivem em paz com Deus, é entender que todas as coisas que nos acontece é permissão de Deus e para nosso bem, por isso temos motivo para ficarmos alegres, pois sabemos que estamos onde Deus quer que estejamos. No minimo aprendemos a ser pacientes, perseverantes, que é o recurso básico para nossa salvação.




Viva em paz com Deus – Parte I

1 PORTANTO, AGORA, desde que fomos declarados justos à vista de Deus, pela fé em suas promessas, podemos ter na realidade paz com Ele por causa do que Jesus Cristo, nosso Senhor, fez por nós.
2 Pois, devido à nossa fé, Ele nos colocou neste lugar do mais alto privilégio onde agora nos encontramos e nós, confiante e alegremente, ansiamos pelo dia quando realmente nos tornaremos tudo quanto Deus tem em mente que sejamos.
3 Podemos nos alegrar, igualmente, quando nos encontrarmos diante de problemas e lutas pois sabemos que tudo isto é bom para nós – ajuda-nos a aprender a ser pacientes.
4 E a paciência desenvolve em nós a força de caráter, e nos ajuda a confiar mais em Deus cada vez que a utilizamos, até que finalmente a nossa esperança e a nossa fé fiquem fortes e sólidas.
5 Então, quando isso acontecer, poderemos sempre erguer a cabeça, seja lá o que for que aconteça, e saber que tudo vai bem, pois conheceremos quanto Deus nos ama; sentiremos também este seu amor afetuoso em todo o nosso ser, pois Deus nos deu o Espírito Santo para encher nossos corações com o seu amor.
(Romanos 5.1-5 BV)

Nos versos acima vemos o apostolo Paulo ensinando sobre ter uma vida em paz com Deus, ele inicia ensinando sobre a obra de Cristo em nossas vidas, pois por meio da Fé nEle, nos tornamos justos aos olhos de Deus e temos acesso as Suas promessas, o que nos possibilita ter paz com Deus.
Mas o que vem a ser viver em paz com Deus? Significa que a pessoa abriu mão de si mesma, ou seja, parou de lutar contra Deus, para viver segundo a Sua direção e orientação. Portanto não significa que teremos paz com o mundo a nossa volta, muito pelo contrario, as vezes significa fazer guerra com o mundo a nossa volta, mas passamos a ter uma vida aprovada e aceita por Deus e isso deve nos satisfazer.




O amor nos mantem no caminho de Deus

Há três coisas que perduram – a fé, a esperança e o amor – e a maior destas é o amor. (I Coríntios 13.13 BV)

O verso acima é o ultimo verso de um dos capítulos mais conhecidos da Bíblia, pois é muito utilizado em casamentos e cursos de noivos e casais, porem não vou entrar em detalhes do capítulo, mas focar no ultimo verso, onde o apostolo Paulo ensina que as únicas coisas que valem a pena é a Fé, a Esperança e o Amor.
Essas três coisas são as únicas que valem a pena, pois são duradoras e nos ajudam a ir para a eternidade ao lado de Deus. Outro detalhe importante desse verso é que o apostolo Paulo afirma que o amor é o mais importante dos três, isso porque o amor é o único que vai nos acompanhar na eternidade ao lado de Deus, como também é ele quem sustenta a nossa Fé e a nossa Esperança, ou seja, sem amor perdemos a Fé e a Esperança. Portanto devemos aprender a amar, a fim de termos uma Fé e Esperança firmes.




Persevere e seja aprovado por Deus

Feliz é o homem que não cede e não pratica o mal quando é tentado, porque depois receberá como recompensa a coroa da vida que Deus prometeu àqueles que O amam. (Tiago 1.12 BV)

No verso acima vemos Tiago ensinado sobre perseverança, onde ele diz que uma pessoa que não cede a pratica do que Deus considera mal, como também não sede as suas tentações, por causa do seu amor a Deus, é uma pessoa feliz, pois é aprovada por Ele.
Ele também ensina que as pessoas que por amor a Deus, foram aprovadas por Ele, recebem como recompensa a salvação e a vida eterna ao Seu lado. Vale lembrar também embora sejamos recompensados pela perseverança, perseverar por causa da recompensa é um erro, o perseverar deve ser pelo amor a Deus.




Os recursos de Deus são em benefício do Seu Reino

E é Ele quem suprirá todas as necessidades que vocês têm, por meio das suas riquezas na glória, por causa do que Jesus Cristo fez por nós. (Filipenses 4.19 BV)

No verso acima vemos o apostolo Paulo ensinando aos filipenses, sobre a necessidade de confiar no Senhor Jesus, onde ele diz que Deus suprirá todas as necessidades deles, por meio de Jesus Cristo, verdade essa que vale para todos nós.
No entanto vale lembrar que as necessidades do qual o apostolo Paulo esta falando não são exclusivamente materiais e físicas, mas principalmente emocionais e espirituais, a fim de que os Seus servos continuem haptos e perseverantes no Seu serviço.




Jesus, o Grande Sumo Sacerdote – Parte III

14 Mas Jesus, o Filho de Deus, é o nosso grande Supremo Sacerdote que foi diretamente para o céu, a fim de nos ajudar; portanto não deixemos nunca de confiar nele.
15 Este nosso Supremo Sacerdote compreende as nossas fraquezas, visto que Ele teve as mesmas tentações que nós temos, ainda que Ele nunca cedeu a elas nem pecou.
16 Portanto, vamos ousadamente até o próprio trono de Deus e permaneçamos lá para recebermos a sua misericórdia e acharmos a sua graça para nos ajudar em nossos tempos de necessidade.
(Hebreus 4.14-16 BV)

Finalizando os comentários sobre o ensino do autor da carta aos Hebreus, sobre o Senhor Jesus, vemos no verso 16 que ele nos pede para irmos ousadamente ao trono de Deus, porem sabemos que não é qualquer pessoa que consegui isso, por isso não devemos ignorar os versos 14 e 15, onde aprendemos que devemos receber o perdão de nossos pecados e a restauração de nossa comunhão com Deus, por meio do Senhor Jesus, como também ter recebido dEle os recursos espirituais para vencermos nossas lutas e tentações.
Outro ponto importante que ele nos ensina é que não devemos simplesmente acessar o trono de Deus, nos momentos de orações, mas devemos permanecer lá a fim de recebermos a misericórdia de Deus e Seus benefícios, portanto devemos ter um estilo de vida de oração, permanecendo nele o tempo todo.




Jesus, o Grande Sumo Sacerdote – Parte II

14 Mas Jesus, o Filho de Deus, é o nosso grande Supremo Sacerdote que foi diretamente para o céu, a fim de nos ajudar; portanto não deixemos nunca de confiar nele.
15 Este nosso Supremo Sacerdote compreende as nossas fraquezas, visto que Ele teve as mesmas tentações que nós temos, ainda que Ele nunca cedeu a elas nem pecou.
16 Portanto, vamos ousadamente até o próprio trono de Deus e permaneçamos lá para recebermos a sua misericórdia e acharmos a sua graça para nos ajudar em nossos tempos de necessidade.
(Hebreus 4.14-16 BV)

Nessa postagem vou continuar comentando o ensino do autor da carta aos Hebreus, sobre o Senhor Jesus, onde vou me limitar apenas a comentar o verso 15. Onde Ele explica que o Senhor Jesus consegue compreender nossas fraquezas, pois viveu como nós em um corpo humano e por isso sofreu as mesmas lutas e tentações que sofremos, porem não pecou.
O fato do Senhor Jesus compreender nossas lutas e tentações, não quer dizer que Ele vai aceitar que as usemos como desculpas para nossos erros e falhas, pois Ele humanamente falando nos mostrou como vence-las, fazer o que é certo e agradar a Deus. Quando o autor da carta aos Hebreus diz que Ele compreende, esta nos ensinando que por compreender nossas lutas e fraquezas, vai nos enviar os recursos espirituais de que precisamos para vence-las, desde que creiamos e confiemos nEle.




Jesus, o Grande Sumo Sacerdote – Parte I

14 Mas Jesus, o Filho de Deus, é o nosso grande Supremo Sacerdote que foi diretamente para o céu, a fim de nos ajudar; portanto não deixemos nunca de confiar nele.
15 Este nosso Supremo Sacerdote compreende as nossas fraquezas, visto que Ele teve as mesmas tentações que nós temos, ainda que Ele nunca cedeu a elas nem pecou.
16 Portanto, vamos ousadamente até o próprio trono de Deus e permaneçamos lá para recebermos a sua misericórdia e acharmos a sua graça para nos ajudar em nossos tempos de necessidade.
(Hebreus 4.14-16 BV)

Nos versos vemos o autor da carta ao Hebreus, explicando a importância do Senhor Jesus para nossas vidas, a um povo que estava acostumados com as práticas religiosas do Velho Testamento. Ele define o Senhor Jesus como o Grande Supremo Sacerdote, ou seja, o maior de todos os sacerdotes, como eles entendia que o sacerdote era uma pessoa escolhida por Deus para oferecer sacrifícios a Deus em nome do povo, para redimi-los dos seus pecados e restabelecer a comunhão Deus, eles entenderam muito bem a função e a importância do Senhor Jesus.
Ele enfatiza ainda que o Senhor Jesus é o Filho de Deus, que foi diretamente para o Céu, para nos ajudar, desde que nunca deixemos de confiar nEle. Portanto creiamos e confiemos que Ele é o Filho de Deus, que vive com Deus no Céu e que nos ajuda a termos uma relação com Deus através do perdão de nossos pecados.




Deus quer nos ajudar, mas depende de nosso posicionamento

Então o Senhor disse: “Se até mesmo um juiz mau pode ser vencido como aquele foi vocês não acham que Deus sem falta fará justiça ao seu povo, que Lhe suplica dia e noite? Sim! Ele lhes responderá depressa! Mas a questão é: Quando Eu, o Messias., voltar, quantos que têm fé (e estão orando) encontrarei?” (Lucas 18.6-8 BV)

Nos versos acima vemos o fechamento do ensino do Senhor Jesus, depois que Ele contou uma estória de uma viúva persistente que conseguiu a atenção do juiz para seu caso. Onde o Senhor Jesus mostra que o justo consegue a atenção dos maus se posicionando corretamente na sua causa.
Muito mais Deus, que tem desejo de atender os Seus filhos, porem Ele faz um alerta: Será que Ele vai encontrar Fé. Isso quer dizer que Deus não age como pode e gostaria, pois as pessoas é que não tem se posicionado como deveriam, com fidelidade e obediência a Ele.
Portanto antes de questionarmos Deus, por não dar atenção aos nossos casos, nos avaliemos para ver se estamos nos posicionando como deveríamos diante deles.




Oração é um estilo de vida

UM DIA JESUS contou aos seus discípulos uma história para mostrar a necessidade que eles tinham de orar sempre, e mostrar-lhes que deviam continuar orando até vir a resposta. (Lucas 18.1 BV)

No verso acima vemos o inicio de uma parábola contada pelo Senhor Jesus, que é a parábola da viúva persistente, que conseguiu a atenção do juiz para seu caso. Não vou detalhar a estória mas focar apena nesse verso, onde podemos ver o motivo pelo qual o Senhor contou a estória.
O Senhor Jesus contou a estória para ensinar que os Seus filhos deverem orar continuamente até vir uma resposta da parde do Senhor. Também devo destacar que Ele não esta falando para as pessoas saírem por ai nas ruas, no trabalho e nos estudos, repetindo as palavras de sua petição a Deus.
Mas esta falando que a oração é um estilo de vida, um estado de espírito de gratidão, esperança e submissão a Deus. Devemos orar sim com palavras, ma em momentos específicos para isso, mas devemos manter o clima da oração em nossas vidas o tempo todo.




Vivendo a Palavra de Deus